sábado, 30 de janeiro de 2016

Concurso Literário: A estória do Gato e da Lua está na tua mão!


Concurso Literário:  A estória do Gato e da Lua está na tua mão!
 

Aproveitando o Dia de S. Valentim, a equipe do Plano Nacional de Cinema no Agrupamento de Escolas Venda do Pinheiro celebra o cinema português de animação com este concurso literário. Está previsto que os alunos de todas as turmas vejam e explorem um pouco, com ajuda dos guiões de exploração, este extraordinário filme de Pedro Serrazina. Esperemos que se inspirem com esta história de um gato que se apaixonou pela lua.


Regulamento  
Modalidades:
Carta do Gato à Lua ou da Lua para o Gato (limites: 140 a 200 palavras).
Soneto do Gato para a Lua ou da Lua para o Gato.  

Prazos: Os trabalhos deverão ser entregues no Centro de Recursos Poeta José Fanha até ao dia 27 de fevereiro (inclusive).  

Apresentação dos trabalhos a concurso:  Cada aluno só pode concorrer com um texto de cada modalidade (podendo assim, apresentar a concurso uma carta e um soneto); os textos deverão ser impressos.

Identificação dos autores: Os trabalhos devem ter a identificação do aluno (nome, número e turma).  
Critérios de seleção:
.cumprimento das normas do regulamento;
.adequação do texto à “estória” do filme;
 .respeito pelas tipologias a concurso (carta /soneto);
.criatividade;
.correção linguística.  

Constituição do júri:.representante da direção do agrupamento; .coordenadora do departamento de línguas; .coordenador da equipa do Plano Nacional de Cinema.  

Prémios:Será atribuído um prémio ao melhor trabalho de cada modalidade.  

Divulgação dos premiados:Os alunos premiados serão contactados pela equipa do PNC e os resultados serão divulgados no sítio do agrupamento.  

Omissões:  Qualquer outra situação não prevista neste regulamento será resolvida pela equipa do PNC.

domingo, 29 de novembro de 2015

Booktrailler "Diário inventado de um menino já crescido"

Disponível, desde hoje, na barra lateral direita. Mesmo aqui ao lado. Não percam!

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

A invasão continua...

E eis que fomos "atacados" por mais avatares!!!





































































segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Avatares

O Professor Pedro Moura desafiou os seus alunos do 7.º C, na disciplina  de Inglês, a criarem avatares recorrendo ao software "Voki". Este foi um exercício divertido em que os alunos se apresentaram e, simultaneamente, treinaram as suas competências na língua inglesa. Ora espreitem...

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Portugal 2055: Efeitos climatéricos do aquecimento global

PenimLoureiro 

O livro Portugal 2055 foi disponibilizado gratuitamente para leitura digital no website do Museu Nacional de História Natural e da Ciência. Obra eminentemente didáctica que aborda efeitos do aquecimento global e outras temáticas ambientais, foi apoiada institucionalmente e por crowdfunding, o que permitiu esta iniciativa de disponibilização digital. Escrita por Bruno Pinto com revisão científica de Filipe Santos, conta com ilustrações de Carla Rodrigues, César Évora, Fil, Filipe Gonçalves, Miguel Santos, Nuno Rodrigues, Penim Loureiro, Rui Alex, Sofia Pereira, Susa Monteiro e Xico Santos. 

A edição em papel estará disponível para aquisição no Museu Nacional de História Natural e da Ciência ou através da Associação Tentáculo. A versão digital pode ser acedida e descarregada em PDF no MUHNAC Digital.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Convenção sobre os Direitos da Criança



 Amanhã o 5.º B vai debater a "Convenção sobre os Direitos da Criança", numa sessão no CR, em Formação Cívica.
 Como proclama este texto, queremos para todas as crianças saúde, educação, igualdade, proteção!

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Vindos de um Outro Mundo


A falar de livros e ideias de Ficção Científica na semana da Feira do Livro do Centro de Recursos Poeta José Fanha. Falar de FC, mas sublinhar que no fundo o que conta é ler. Seja romance, policial, ficção, não ficção. É lendo, no diálogo entre as palavras lidas na página e o cérebro do leitor, que partilhamos conhecimentos e descobrimos ideas novas que nos intrigam. 

Slide 1: Vindos de um outro mundo: breve introdução à ficção científica para alunos do AE Venda do Pinheiro. Uma viagem pessoal pela história, literatura e cinematografia de FC.

Slide 2: Ficção científica é uma forma de ficção que lida principalmente com o impacto da ciência e tecnologia, verdadeira ou imaginada, sobre a sociedade ou os indivíduos. Esta ideia foi proposta primeiramente por Hugo Gernsback para promover e sustentar as suas publicações focalizadas em histórias cujo cerne incidia sobre especulações técnicas e científicas.
Slide 3: De onde veio a FC? Ao longo da história da literatura existem muitos exemplos de ficções pré-FC, no campo das utopias e mundos imaginários. Mas talvez o primeiro livro que teve como premissa uma ideia de base científica, à época, foi Frankenstein de Mary Shelley. Parece-nos estranho, uma vez que o vemos como monstro de terror, mas no livro a criatura monstruosa nasce não de explicações sobrenaturais ou mágicas mas sim da aplicação de ideias científicas ligadas à medicina e electricidade. No século XIX e princípios do século XX o que se viria a tornar FC ganhou popularidade e leitores, quer com a vertente de aventuras com tecnologia de Júlio Verne os seus seguidores, com a visão do papel da tecnologia de HG Wells, ou com as aventuras que misturam tecnologias futuristas à época (caso das edisonades, inspiradas na figura de Edison), e guerras futuras, um género muito em voga na viragem do século XX que ainda hoje se mantém vivo. 

Slide 4: Imaginem um tempo onde não abundavam os meios de entretenimento. Sem televisão, internet, jogos. Só cinema e rádio para os mais afortunados. Ler era um passatempo, ea abundavam revistas cheias de contos empolgantes que encantaram os seus leitores. Estas publicações ajudaram a FC a afirmar-se como género por direito próprio. Foram, e ainda hoje são, a primeira linha de publicação para os autores, muitos dos quais se tornaram grandes nomes do género. A maior parte da FC pulp é elementar, de entretenimento rápido, sem grandes aspirações, mas saíram daqui alguns dos maiores autores do género. Das revistas clássicas salientam-se a Amazing Stories editada por Hugo Gernsback que se caracterizava por uma aproximação mais rigorosa à ciência na FC, e o foco no deslumbre com ciência e tecnologia da Astounding SF de John W. Campbell. Algumas destas revistas, como a AnalogAsimov e Magazine of F & SF ainda hoje são publicadas. Das mais recentes destaca-se a New Worlds, que apostou numa FC mais literária e experimental, e a Interzone, das poucas de FC europeia que ainda se mantém em publicação.

Slide 5: A banda desenhada tem sido um dos campos onde a FC se afirma. Desde os tempos da BD clássica (Buck Rogers, Flash Gordon, Weird SF e tantos outros) até aos dias de hoje os autores de BD têm aproveitado as possibilidades visuais da BD para despertar sonhos do imaginário futurista. Destaco aqui, da BD franco-belga, o incontornável Hergé com Tintin a ir à lua; o surrealismo de Enki Bilal; a FC em estado de pura magia de Moebius (Jean Giraud). Do Fumetti italiano destaco o retro-futurismo inspirado em Verne de Greystorm e as viagens pacifistas no tempo de Lilith de Luca Enoch. Dos comics modernos muita coisa poderia ser dita, mas sublinha-se o futurismo de Warren Ellis, talvez dos melhores actualidade. A série Saga, a ser editada em portugalHickman em Manhattan Projects. Hoje, a BD é um dos campos onde a mistura de ideias especulativas e iconografias desafiantes da FC consegue ir mais longe, graças ao carácter intrínseco da BD como mistura de texto, imagem e técnicas narrativas mistas.

Slide 6: E por cá, há FC? Sim, mas pouca. O século XIX legou-nos uma lisboa sonhada no ano 2000; dos tempos do estado novo sonhos de um império português do futuro. Mais recentemente, autores como Luís Filipe Silva, António de Macedo e JoãoBarreiros têm-se preocupado em escrever FC de qualidade. E há novos autores a experimentar o género, caso do universo partilhado do comandante serralves. O género tem tido alguma expressão, mas muito reduzida, apesar de um número considerável de obras publicadas por autores portugueses. E, até no cinema português encontramos exemplos de FC: os filmes Os Emissários de Khâlom e Os Abismos da Meia Noite de António de Macedo, Aparelho Voador a Baixa Altitude de Solveig Nordlund, e os recentes RPG de David Rebordão e Collider de Jason Butler.

Slide 7: Há três autores que são incontornáveis quando se está a descobrir a ficção científica. Ray Bradbury, algo atípico, mais próximo do realismo mágico do que da FC pura, que imbuiu os seus livros de um eterno deslumbramento pelos mundos reais e imaginários. Foi dele o primeiro livro que li que me despertou e apaixonou pela FC, as Crónicas Marcianas, um conjunto de histórias sobre a conquista do espaço sem grandes aventuras nem épicas batalhas espaciais. Dele também há o livro que arrepia, aquele em que os bombeiros servem para queimar livros e que é uma ode ao amor à literatura e liberdade de pensamento.
Asimov é outro dos grandes clássicos. Autor prolífico, legou-nos as três leis da robótica, que explorou nos contos que se coligem em I, Robot. É dele uma das primeiras séries de romances que olha para o poder das ideias e não das tecnologias como elemento definidor, Foundation, onde o grande personagem são as tendências estruturais que modelam uma sociedade galáctica milenar.
Mestre da FC hard, Arthur C. Clarke centrava-se na ciência como transformadora. É o maior nome daquela FC clássica feita de personagens estereotípicos cujos dilemas se centram nos desafios trazidos pela ciência e tecnologia.

Slide  8: O melhor da FC está na forma livre como especula. Podíamos falar de sub-géneros, que definem tipos de histórias características, como viagens no tempo, guerra futura, space opera, cyberpunk, mas no seu melhor a FC transcende géneros e, imaginando futuros, desafia-nos a reinventar o presente. Alguns exemplos, pessoais: Channel Sk1n: a televisão e internet enquanto vírusHav: um guia de viagens a um país que não existe que atrai leitores incautos a agências de viagens; O Homem do Castelo Alto: e se… a américa vivesse ocupada pelos japonese e alemanha nazi e um livro proibido contasse a história do que seria se os aliados tivessem vencido a II guerra? The Drowned World:  e se o aquecimento global inundasse as cidades mundiais e Londres se transformasse numa selva semi-submersaA Invenção de Morel: uma ilha onde o presente e o passado coexistem mas não se tocam; Babel 17: uma língua que é uma arma que muda a maneira de pensar de quem a fala; O Senhor da Guerra nos Céus: acordar numa avalanche dos himalaias e descobrir um novo mundo cruzado por dirigíveis; Olá América: a américa abandonada é redescoberta por uma expedição arqueológica.

Slide 9: Vivemos na era digital, numa hipermodernidade em que todos os dias a ciência e tecnologia nos trazem novidades radicais que se entranham no dia a dia. Eis alguns livros, já antigos, que quase anteveram o mundo de hoje (e, nalguns casos, inspiraram directamente cientistas e engenheiros): Schismatrix: a humanidade espalha-se pelo sistema solar e modifica radicalmente a sua genética; Neuromancer: um hacker no meio de intrigas entre empresas e inteligências artificiais, legou-nos o termo ciberespaço; Brasyl: o presente, o passado e o futuro nos trópicos colidem enquanto a física quântica derruba as barreiras temporais; Snow Crash: descreve mundos virtuais em 3D realistas habitados por avatares.

Slide 10: Nem só de língua inglesa vive a FC. Nos últimos anos mutliplicam-se as vozes europeias e mundiais. Trazem à FC outras sensibilidades, expandido o campo literário, mostrando outras visões do mundo e dos futuros que não a ocidental. Alguns exemplos: A Mecânica do Coração: uma história de amor steampunk em que um jovem busca a rapariga que ama e detém a chave do seu coração mecânico; The Bookman: lagartos alienígenas invadem a terra, fingindo-se humanos, num século XIX cheio de dirigíveis e raios da morte; Mémoria: o mais perigoso assassino da galáxia viaja entre planetas para descobrir que é uma inteligência artificial que se escapou de um laboratório; The Three-Body Problem: um jogo de computador funciona como cavalo de tróia para uma civilização extraterreste invadir a Terra; 10 Billion Days e 100 Billion Nights: demasiado estranho para explicar. Jesus e Siddharta lutam ao longo dos séculos utilizando civilizações e mísseis atómicos de curta distância; Aurorarama: os dias da cidade gelada que é a Veneza do pólo norte.

Slide 11: Alguns livros imperdíveis, de autores portugueses ou recentemente editados por cáO Marciano, de Andy Weir: um astronauta abandonado em marte faz tudo para sobreviver e ser resgatado, em breve será filme; O Baile, de Nuno Duarte e Joana Afonso: um agente da PIDE investiga estranhos acontecimentos numa aldeia de pescadores; Se Acordar Antes de Morrer: os contos de João Barreiros; Cidade Suspensa: o imaginário português revisto pelo traço espantoso de penim loureiro.

Slide 12: É através do cinema que a FC chega ao grande público. Legou-nos iconografias espantosas, que ficam na memória visual e marcam o que conhecemos de FC. Como a imaginamos. Seleccionam-se aqui alguns filmes marcantes, fugindo aos mais esperados. Tudo começou em 1902, com a viagem à lua de Meliès. E continua, hoje, com filmes que deslumbram pelo lado visual e intrigam pelas suas concepções futuristas, que nos inspiram a imaginação.

Slide 13: Desafio: distribuindo cartões visões de utopia, perceber desafios contemporâneos a partir de ideias futuristas.


Slide 14: Já chega. Ide-vos, humanos.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

"Enigmas literários": exposição e concurso



Para todos os interessados em participar neste concurso encontram mais informação aqui.

terça-feira, 14 de abril de 2015

O Galaró Vaidoso


Vamos pôr à prova os nossos conhecimentos sobre O galaró vaidoso... Divirtam-se!

http://www.educaplay.com/es/recursoseducativos/1829040/o_galaro_vaidoso.htm

Lisboa no Ano Três Mil


A colecção Génesis do Projecto Adamastor acabou de disponibilizar mais uma digitalização de uma obra clássica da ficção científica portuguesa. Desta vez é o bem conhecido Lisboa no Ano 3000 de Cândido de Figueiredo, agora disponibilizado em epub e mobi.

segunda-feira, 9 de março de 2015

À barca, à barca, alunos...

Caríssimos alunos da turma CEF,

Mestre Gil e a sua obra aguardam-vos neste endereço:

http://www.educaplay.com/es/recursoseducativos/1776974/a_barca__a_barca__alunos___.htm


Fonte da imagem: http://litterascriptalitteratura.blogspot.pt/2010/10/as-versejadoras-palacianas.html

Boa viagem ("de gentil maré")!

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Preparámos o encontro com o Rodolfo Castro


Olá amigos!
Nestes dias, temos andado a preparar o encontro com o contador de histórias, Rodolfo Castro, que se auto-intitula, o pior contador de histórias do mundo. Será?


Numa atividade de articulação com a Professora Sandra Alves, de Espanhol, as turmas de 9º ano de escolaridade vieram ao Centro de Recursos.


Para além de ficarem a conhecer alguns factos interessantes sobre este artista, vimos os materiais do autor que os alunos podem requisitar ou consultar no Centro de Recursos.



quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

E viajamos pela Dinamarca

A Professora Fátima Pratas trouxe várias turmas de sétimo ano e apresentou atividades da obra O Cavaleiro da Dinamarca, na Escola Virtual.



Relembramos que a Escola Virtual está disponível gratuitamente para todos os alunos. 



Apresentações do 5.ºB

A turma do Professora Regina, depois de ouvir algumas explicações sobre o Powerpoint, veio ao Centro de Recurso experimentar este programa.


Os alunos percorreram todos os separadores e as potencialidades do programa.


Agora estão preparados para fazerem apresentações à turma.





O amor está no ar .....

O amor está no ar ..... no Centro de Recursos.


Vem ver as últimas novidades apaixonadas.




Participa no nosso mural  de mensagens. Deixa a tua mensagem apaixonada.


quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Concurso "Escrever um conto, sorrir para a vida"

Hoje deixamos-vos um desafio! Quem quer escrever um conto?


Até 13 de fevereiro, todos os alunos de 3.º ciclo podem concorrer com um conto original 


Cada trabalho deve ter um título que sugira o conteúdo e balizar-se pelo limite máximo de 5000 palavras [entre 4 e 10 páginas A4 impressas, digitadas em Microsoft Word, fonte Arial, tamanho 12 e espaçamento 1,5 entre as linhas].

Consulta o regulamento aqui.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Concurso Faça lá um poema 2015

Olá amigos!

Mais uma vez vamos ver quem são os verdadeiros poetas. 
No concurso Faça lá um poema, podes entregar o teu poema individual, no máximo uma folha A4 até ao dia 6 de fevereiro.


terça-feira, 13 de janeiro de 2015

João Carlos Brito

Olá amigos!

Recebemos no Centro de Recursos, o escritor João Carlos Brito, natural do Porto. Uma casa cheia para ouvir este autor que se preocupa com as questões da língua portuguesa.


João Carlos Brito é licenciado em Línguas, Literaturas e Culturas Modernas, variante de Português-Francês, pela Universidade de Aveiro e exerce a profissão de professor-bibliotecário na Escola Secundária de Gondomar. 


Participou em concursos literários, tendo obtido diversos prémios nacionais e internacionais. Para saberes mais sobre este autor clica aqui


Foi uma sessão bem animada, de onde destacamos uma versão da história Capuchinho Vermelho à moda do Porto .... uma espécie de Capuchinho Bermelho.



Ainda temos alguns exemplares de livros deste autor, à venda no Centro de Recursos.


Foi muito agradável, esperamos que volte em breve.