quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Ciências da Educação

Ao reler as CONFISSÕES de Santo Agostinho dou com isto: "O que é, por conseguinte, o tempo? Se ninguém mo perguntar, eu sei; se o quiser explicar a quem me fizer a pergunta, já não sei."
E andam os estrategas do eduquês a encher quantas bibliotecas há com teorias sobre o insucesso escolar e outras iliteracias, quando a solução é tão simples: nada perguntar e nada avaliar. E assim, se ninguém lhes perguntar, todos os alunos serão especialistas em Línguas, Filosofia, História e Teoria da Relatividade. Este Santo Agostinho! Sempre à frente do seu tempo! Recomendo este livro à Senhora Ministra da Educação, se é que não o leu já!

3 comentários:

Artur disse...

Esse Agostinho, quem é? Um tipo que morreu há mais de 500 anos, certo? O que será que a sabedoria dele ainda vale hoje em dia? Desculpe-me, mas os génios da Chicago School of Economics, liderados pelo GRANDE Milton Friedman, cilindram qualquer ideia poeirenta, mesmo que saída da cabeça de um santo.

Se não for doutorado por chicago, logo defensor do mercado livre;
se não for doutorado por Boston, logo defensor da deseducação;
se não for doutorado pela Sorbonne, logo defensor do relativismo incoerente pós-moderno;

as suas ideias não estão na moda.

José A. Vaz disse...

artur
a sabedoria de agostinho vale mais do que toda a vã filosofia dessas vetustas universidades; aliás agostinho é doutor da igreja muito antes de existirem universidades, o que ainda tem muito mais valor...
posso ainda adiantar-lhe que era também conhecido por águia de hipona, numa altura em que as águias valiam mais do que hoje. e ainda que nasceu em tagasta, no norte de áfrica e ensinou retórica em roma e milão e em retórica nenhum doutorzeco actual chega aos calcanhares desse génio. converteu-se ao cristianismo aos 34 anos (ainda irá a tempo com a sua idade?)depois de alguns anos de vida dissoluta. aposto que escreveu mais do que qualquer doutorado por si referido. a si aconselho-o a ler "do livre arbítrio", já para não falar da "cidade de deus". não se esqueça que é necessária uma iluminação ontológica para explicar a estrutura metafísica das coisas e esta é uma verdade eterna.além disso, nós não nascemos para morrer, mas morremos para ressuscitar...
acredita mesmo que o milton friedman era grande? só por carreirismo politicamente correcto se pode afirmar uma coisa dessas.
vale! yosephus

Artur disse...

tenha calma, caro amigo e colega, não foi aristóteles que sublinhou a importância da comédia? estava meramente a ser irónico... a fazer pouco das ideias que por aí circulam, dos modismos do eduquês e de outros que não respondem aos porquês...

Aos vinte e doze anos creio ainda ir a tempo de seguir o exemplo do dr. da igreja (ah! afinal é por isso que na arte sacra st agostinho é representado segurando um livro...). Quem sabe as voltas que a vida dá...

um abraço, sem ironia.